HomeNotíciasSaúdeDescontrole emocional pode causar gastrite
Saúde

Descontrole emocional pode causar gastrite

Se não tratada, a doença provoca sangramento, dores e vômitos

24/09/2013 - 13:26 - Saúde
Má alimentação, excesso de trabalho, cuidados domésticos e dos filhos, sedentarismo e maus hábitos. Estes são alguns exemplos do cotidiano de milhares de brasileiros que precisam equilibrar a vida pessoal, profissional e as dificuldades que surgem diariamente. No entanto, não é tão simples encontrar o meio-termo e a constante agitação pode provocar estresse, ansiedade e é um dos fatores que desencadeia a gastrite.


A doença é uma inflamação no intestino provocada pelo aumento da produção do ácido clorídrico e, de acordo com o gastroenterologista do Hapvida Saúde, Franklin Queiroz Barbosa, as causas podem ser fisiológicas (predisposição genética), exógenas (bebidas, cigarro, câncer) e emocionais (depressão, estresse, euforia). 'A ansiedade também ajuda no desenvolvimento da doença, pois quando a pessoa não consegue relaxar, o estômago eleva os níveis de produção do ácido', explica o médico.

Identificar que algo está errado com o organismo nem sempre é tão difícil, mas, no caso da gastrite, talvez seja ainda mais fácil descobrir, já que um dos principais sintomas é a sensação de queimação no estômago. Porém, é preciso que a doença seja tratada com rapidez para que o paciente não sofra com outras sensações desagradáveis, como dores no abdômen, diarreia e vômito com sangue, barriga inchada, barulhos no estômago provocados pelo excesso de gases e, até mesmo, perda de sono durante a noite.

'De início, a doença é simples de ser tratada, mas dependendo do nível, o paciente pode necessitar de um tratamento prolongando que o afastará de suas atividades cotidianas. Por isso, assim que surgir o primeiro sintoma é necessário procurar um médico para que ele faça uma avaliação e solicite uma endoscopia, que é a única forma de obter o diagnóstico preciso', aconselha o especialista.

Como prevenir - A doença atinge desde crianças até idosos, mas os maiores índices são em homens de 30 a 45 anos, devido aos excessos de cigarro, bebidas alcoólicas e má alimentação. De acordo com o médico, a prevenção consiste em uma mudança dos hábitos ruins para uma vida mais saudável. Alimentação correta, controle de ansiedade, diminuição dos níveis de estresse, boas noites de sono e atividades físicas colaboram para evitar a doença.

Além disso, esse cuidado também deve existir mesmo se o paciente já estiver com a doença. Nesse caso, é preciso deixar de lado tudo de contiver cafeína, gordura, excesso de açúcares, farináceos e bebidas gaseificadas. O especialista afirma ainda que 'é bom que as pessoas separem um momento para a digestão, pois alimentar-se e exercer algum trabalho logo em seguida pode piorar a doença'.
Mais Acessadas
Canais
Siga nas Redes: