HomeNotíciasParáNaufrágio: mais um é resgatado e 2 continuam desaparecidos
Pará

Naufrágio: mais um é resgatado e 2 continuam desaparecidos

Trabalhos de buscas reiniciaram na manhã deste sábado

20/04/2013 - 11:45 - Pará

Atualizada às 12h10

Foram retomadas na manhã deste sábado (20) os trabalhos de busca no local onde, na última quinta-feira (18), a embarcação 'Iate Leão do Norte' naufragou com pelo menos 60 pessoas. O acidente aconteceu a 500 metros do trapiche do município de Cachoeira do Arari, na região do Marajó. Segundo informações do 4º Distrito Naval da Marinha, uma pessoa foi resgatada na manhã de hoje, subindo para 50 o número de sobreviventes ao acidente. Pelo menos mais duas pessoas ainda estão desaparecidas.

De acordo com o tenente Marco Antônio Costa, os trabalhos reiniciaram às 7h de hoje (20) e devem permanecer até que os corpos sejam encontrados. 'Nosso efetivo continuará no local até encontrarmos todos os desaparecidos', informou.

A Marinha atua com quatro navios e seis lanchas para ajudar nas buscas. Uma equipe composta por quatro médicos e quatro enfermeiros auxilia no atendimento às vítimas resgatadas. O Grupamento Fluvial da Polícia Civil também permanece no local para garantir a segurança e dar apoio ao trabalho, enquanto uma equipe de mergulhadores do Corpo de Bombeiros trabalha no resgate dos corpos dos passageiros que ainda estão desaparecidos.

'Até então permanece 12 o número de pessoas mortas no acidente e 50 o total de resgatadas. Acreditamos que seja 64 o número total de pessoas que estavam a bordo', disse o tenente Marco Antônio.

Dos sobreviventes, nove estão internados na Unidade Básica de Saúde de Cachoeira do Ariri. Uma criança de seis anos foi transferida em estado grave para Belém, ainda na manhã de ontem (19). Até então, quatro corpos foram trazidos para a capital paraense.

Depoimento - O comandante da embarcação 'Iate Leão do Norte' foi autuado em flagrante por homicídio doloso pela Polícia Civil. Luís Acácio da Silva Lima, de 42 anos, assumiu em depoimento ao delegado Arilson Caetano, superintendente regional dos Campos do Marajó, que não tinha habilitação para pilotar o barco, que viajava com excesso de passageiros, e que sabia que o 'Leão do Norte' poderia afundar.

De acordo com delegado Arilson Caetano, o comandante vai responder também pelo crime de expor a perigo embarcação ou aeronave, segundo o artigo 261, do Código Penal. Segundo o indiciado, o barco tinha capacidade apenas para 25 pessoas a bordo, mas, segundo a lista apresentada por ele, haviam mais de 60 pessoas na embarcação, entre tripulantes e passageiros.

Entenda o caso - O barco saiu por volta de 23 horas de quinta-feira (18) da comunidade de Vila Arapixi, em Cachoeira do Arari, e seguia pelo rio Arari, em direção ao trapiche da sede do município quando ocorreu o acidente. O destino final da embarcação seria Belém.

Segundo versão apresentada pelo comandante, o naufrágio teria ocorrido em uma curva, a 500 metros do trapiche da cidade. No momento do acidente, o barco navegava contra a correnteza e, por conta da força das águas, teria tombado no rio. De imediato, 44 pessoas teriam sido resgatadas. Algumas chegaram a nadar até o trapiche para pedir socorro.

A Polícia Civil informou que aguarda o encerramento das buscas para ter a informação precisa do número final de vítimas, bem como do laudo pericial de local de acidente, que vai apontar a causa do naufrágio. Segundo o delegado, o comandante do barco ficará preso na UIPP de Cachoeira do Arari à disposição da Justiça. Depois, ele deverá ser transferido para uma unidade do Sistema Penitenciário.

Heloá Canali (Portal ORM)

tags: naufrágio
Mais Acessadas
Canais
Siga nas Redes: